sexta-feira, 3 de junho de 2011

Nuclear


Stock Pictures Maranhão Images
www.maranhaoimages.com


Alemanha diz adeus ao nuclear

Merkel: "Queremos seguir um novo caminho"

"Temos de seguir um novo caminho,. nós queremos que a energia do futuro, seja segura, confiável e acessível. O abastecimento de energia na Alemanha precisa de uma nova arquitetura. " Angela Merkel, disse, explicando a decisão de fechar todos os reatores nucleares até 2022. O chanceler acrescentou que grandes esforços são para promover as energias renováveis, melhorar a eficiência energética e revisão da rede elétrica. Alemanha será de fato o primeiro a desistir da indústria de energia nuclear. O Ministério do Ambiente anunciou que o último reator será interrompido em 2022 e chamou a decisão "irreversível". Na sexta-feira, ministros do meio ambiente regional e federal havia concordado com a decisão.

A maioria dos reatores serão desativados até o final do ano, os três últimos reatores, permaneceram em funcionamento por mais onze anos no máximo. Norbert Roettgen ministro disse que oito dos 17 reatores que não estão conectados à rede de geração de eletricidade não será mais reativados. A decisão é resultado de discussões que o governo alemão deu início após o desastre em Fukushima, o que levou a protestos em massa no país, contra o uso da energia atômica. A energia nuclear fornece actualmente 22% das necessidades de eletricidade do país. A estratégia da Alemanha para o futuro, de acordo com um documento obtido pela Reuters previam um conjunto de acções, incluindo:

- Redução do consumo de electricidade de 10% em 2020, através de medidas adicionais para aumentar a eficiência energética

- Envolvimento das indústrias de energia intensiva

- Adaptação de casas para torná-los eficientes em termos de energia

- A duplicação da quota de energia proveniente de fontes renováveis ​​para 35% em 2020

- Redução das emissões de gases com efeito de estufa em 40% sobre o mesmo período.

Dada a grande importância que o gás e o carvão vai jogar na produção de energia da Alemanha, estima-se que o CO2 liberado na atmosfera a cada ano vai aumentar de 20 para 29 milhões de toneladas.

PROTESTOS - Os ativistas do Greenpeace e manifestantes contrarios ao uso da energia nuclear subiram domingo no Portão de Brandemburgo, em Berlim para exigir a extinção total da energia nuclear na alemanha e europa, exibindo uma faixa com os dizeres "Todos os dias da energia nuclear já é demais." sábado dezenas de milhares de pessoas se manifestavam em várias cidades do país contra a maior potência nuclear. Segundo os organizadores haviam saído às ruas, pelo menos, 25 000 pessoas em Berlim, em Munique, 20 000, em Hamburgo 10 000 e em Frankfurt 7000 se reunirão na frente da estação central de trens (Hauptbahnhof) e seguiram em marcha até o centro histórico da cidade (Römer).

Nenhum comentário: